Público de Novos Hábitos

On line agora

terça-feira, 29 de abril de 2014

Só para Mulheres...



Conheça...

Site: http://www.i9treinamentoecoaching.com/

Forte abraço!

Seja feliz agora, do seu jeito!

Desligue a TV... Para quem está cansado da Mediocridade... I am...




Por Adriana Mantana

Eu sou...
Eu sou a luz.
Eu sou a abundância.
Somos criaturas divinas, portanto é o nosso dever se ater a isto.
O universo inteiro conspira a favor do bem.
É só olhar em volta.
Tudo é bom e abundante.
Mas claro que você ACREDITA QUE ISTO É CONVERSA FIADA, pois muitas vezes "quer ver a desgraça", a televisão, as novelas e os noticiários para ficar "atualizado (a)" {NA TRAGÉDIA ALHEIA, PORQUÊ ISTO VENDE BEM NA MÍDIA}. E a sua vida como vai? Está feliz? Realizado (a)? O dinheiro vai bem? O amor vai bem? A família vai bem? Não... e aí o que VOCÊ vai fazer de verdade para mudar isto?
Não assisto TV na minha casa de forma alguma, a não ser que seja um filme que eu loquei e quero ver.
Caso contrário não assisto.
E acho graça... Incrível como o sensacionalismo para o mal é reforçado.
A impressão que passa é que a Mídia quer nos manter presos e com muito medo de tudo e todos.
Claro, PESSOA MEDROSA não age, fica quieta reclamando da vida.
Cuidado com a manipulação.
Pense por si mesmo.
Acredite no bem.
Siga o exemplo de pessoas de sucesso.
Atenção para quem você vai pedir conselho.
Você pediria o conselho para um mendigo como ganhar dinheiro e se tornar milionário?
Então pense por si.
Estude o sucesso, a paz e a alegria de viver.
Peça conselhos para pessoas que são referência naquilo que você deseja e são melhores que você.
Cuide.
Pense.
Sinta.
E fale no bem.

PENSE POR SI E QUEIRA O MELHOR EM TODAS AS ÁREAS DA SUA VIDA.

Faça isto por você!!!

Seja feliz agora, do seu jeito.

sexta-feira, 25 de abril de 2014

Como homem admito: O poder é das mulheres...






Nesta quinta-feira (19), temos uma visita especial no Mulher 7×7: o editor-executivo de ÉPOCA Rogério Simões, que morou dez anos em Londres e foi diretor da BBC Brasil. Divorciado, acredita na feliz e sincera interação entre duas pessoas. Neste texto, Rogério reflete sobre as conquistas femininas  – e sobre o seu significado, tanto para os homens como para as próprias mulheres.
A velocidade com que as mulheres do mundo ocidental conquistaram direitos e espaço social é impressionante. Cem anos atrás, na mais desenvolvida nação daquela época, o Reino Unido, as mulheres ainda nem tinham direito a voto. Foi necessária a avassaladora Primeira Guerra Mundial para que a elite masculina britânica aceitasse esse avanço. Em 1918, após terem sido peça fundamental no esforço de guerra (nas fábricas e no tratamento a feridos), as britânicas finalmente passaram a escolher seus representantes.
Hoje, numa sociedade ocidental moderna, da qual o Brasil é um bom exemplo, as mulheres são detentoras de poder e autonomia quase totais. Onde o poder feminino não é completo, o déficit se deve mais a ajustes econômicos ou resistências pontuais de homens que ainda tentam, inutilmente, manter-se hegemônicos (como nas diferenças de remuneração ou participação em cargos executivos de empresas). Ou ainda porque as mulheres simplesmente não têm interesse em controlar todos os espaços disponíveis. Logicamente, existem vários graus de emancipação feminina, de acordo com a classe social e cultura local. Mas as mulheres das faixas mais esclarecidas são hoje, além de donas do seu próprio nariz, comandantes deste navio que chamamos de sociedade.
Se tomarmos como exemplo uma jovem de classe média do eixo Porto Alegre-São Paulo-Rio de Janeiro, é fácil identificar tal poder. Essa moça esclarecida tem hoje diante de si as chances e o direito de ser feliz como bem entender. Tudo lhe é permitido. Ela pode ser cientista, economista, advogada, empresária, ministra de Estado, ginasta, lutadora de judô, atriz, dançarina, modelo, soldado do Exército, policial, juíza, prefeita, governadora ou presidente da República. Pode ser mãe de um, dois, três, quantos filhos quiser – ou de nenhum. Pode fazer uma produção independente, usando um homem de carne e osso ou o banco de sêmen, ou ser mãe aos 60 anos. Pode ainda sair nua em revistas masculinas, trabalhar como atriz pornô ou ser prostituta, sem por isso ser necessariamente estigmatizada – o sucesso de Bruna Surfistinha comprova a tolerância brasileira à mais antiga das profissões.
Se casada, ela também pode escolher não trabalhar – para cuidar dos filhos, estudar ou apenas descansar – ou trabalhar meio período. No mundo do esporte, as mulheres conquistaram o direito de competir em espaços que eram exclusivos dos homens. Até mesmo os tabus que permanecem são, ao menos em parte, favoráveis às mulheres. Uma mulher que decide se separar do marido, mesmo que seja para ficar com outro homem, costuma ser vista como alguém que luta por sua felicidade – e merece aplausos. Aquela abandonada pelo companheiro é considerada vítima de um homem sem escrúpulos ou coração – e merece apoio. Toda e qualquer opção de vida da mulher é aceita pela sociedade atual.
Ainda há espaço para conquistas, muitos. O aborto, por exemplo, não é legalizado no Brasil – o que é apenas uma questão de tempo. Mas sabemos que uma mulher que queira interromper a sua gravidez conseguirá fazê-lo clandestinamente, e o pai da criança pode não ter voz na decisão. Se ela quiser ter o filho, mesmo contra o desejo do homem, a criança nascerá, e o pai biológico será obrigado a lhe dar todo o apoio estabelecido por lei. E assim deve ser: a garantia dos direitos da mulher implica responsabilidade dos homens, o que não é um problema. Tais direitos compensam o grande esforço feminino imposto pela natureza na missão de gerar e alimentar os filhos, tarefas essenciais para o futuro da humanidade. Garantir esses direitos é um sinal de amadurecimento e força de uma sociedade. Com tanto poder em suas mãos, porém, é importante que as mulheres não se esqueçam da outra metade do mundo. Aquela metade que nunca gerará um filho e não pode sair às ruas para exigir direitos, sob o risco de ser ridicularizada, até porque nem tem objetivos óbvios para perseguir.
Os homens desta nossa sociedade moderna não lutam pelo direito de disputar o campeonato de nado sincronizado ou de aparecer totalmente nu em uma revista feminina. Eles não querem trabalhar meio período, ser sustentados pela mulher ou superar o sexo feminino no competitivo mercado de modelos de passarela. Não podem ser pais sem informar a mãe ou realizar o sonho da paternidade por meio de um banco de óvulos – eles só se tornam pais quando uma mulher decide ser mãe de um filho seu. Aos homens resta apenas fazer o que sempre fizeram: trabalhar e ganhar dinheiro suficiente para sustentar uma família, caso venham a ter uma (não conheço mulher alguma que considere atraente a ideia de um homem desempregado, sem carreira, perdido na vida).
Sem reivindicações, objetivos ou clareza sobre seu papel, esses seres básicos contam apenas e tão somente com a compreensão das mulheres. Querem que elas entendam as suas dificuldades em saber como devem se comportar para conquistá-las e – o mais difícil – fazê-las felizes. Os homens – que no fundo desejam, mais do que tudo, ser reconhecidos e valorizados por aquele que já foi conhecido como o “sexo frágil” – acham cada vez mais difícil agradá-las. Poucos sabem quando o romantismo funciona ou quando é necessário ou recomendável perseguir um maior contato físico. Entusiasmo demais pode causar reação adversa ou até aproximá-lo do crime. Entusiasmo de menos pode ser interpretado como falta de masculinidade. Antigamente, telefonar no dia seguinte de um encontro era essencial para causar uma boa impressão. Hoje muitas interpretam o gesto como invasão de seu espaço individual e sinal de que aquele homem, carente e inseguro, quer mais do que ela está disposta a oferecer. Como se comportar diante dessa independente, assertiva e quase auto-suficiente mulher? O que lhe propor? Como lhe dar o amor e a atenção que o sexo feminino parecia buscar sem desrespeitar seu recém-conquistado espaço individual? Como garantir espaço e independência a uma mulher sem que ela se sinta desprezada?
Em uma recente conversa informal com uma experiente psicanalista, ela me disse que as mulheres estão abandonando o seu caráter feminino. Sob a ilusão de que a conquista da liberdade implicava repetir comportamentos dos homens, passaram a amar – ou não amar – de forma tradicionalmente masculina. Livres da obrigação do casamento, agora se libertam também do relacionamento – aquilo que costumávamos chamar de namoro. Tornaram-se demasiadamente auto-centradas, acreditam não precisar de ninguém e estão, também, perdidas.
A verdade é que os códigos, papéis e responsabilidades ficaram confusos demais para um nível satisfatório de comunicação entre os sexos – e a saída está hoje muito mais nas mãos das mulheres. Paralisados diante das mudanças de regras, sem que um novo código de conduta tenha sido estabelecido, os homens sentam-se no fundo da sala à espera de uma nova orientação geral. As mulheres, agora no comando dessa moderna organização social, devem primeiro se lembrar de que são seres essencialmente femininos. Não precisam tentar se comportar como homens. Com isso em mente, devem tomar as rédeas e entender que os homens necessitam de mais atribuições e reconhecimento, em um mundo onde a voz feminina tornou-se determinante. Conquistado o poder, que elas o exerçam sabiamente.

Página na web: http://colunas.revistaepoca.globo.com/mulher7por7/2012/01/19/como-homem-admito-o-poder-e-das-mulheres/

terça-feira, 22 de abril de 2014

O poder pessoal para mulheres...



Por Adriana Mantana

O poder pessoal é fundamental na vida de qualquer pessoa, pois sem ele, não se consegue dar um passo sem tropeçar e cair. Entenda tropeçar e cair: Momentos de estagnação, dor ou angústia. Geralmente quando se delega o poder a alguém perdemos força. E como identificar quando isto acontece?Geralmente ocorre quando deixamos nossa vida nas mãos de terceiros, seja afetivamente ou na preocupação do que os outros acham ou deixam de achar a respeito de nossa vida e atitude.Convenhamos qual a única pessoa no mundo que sabe o que é melhor para você?Você mesmo, claro.As mulheres constantemente fazem isto, perdem o poder.Principalmente com relação a vida afetiva, geralmente na fase do namoro.Normalmente o parceiro se torna o centro de toda a sua atenção e ela passa literalmente a viver a vida do outro. Se anula e deixa de viver sua própria vida.É fácil identificar esta situação.Veja como:O primeiro indicio é o afastamento dos familiares e amigos, na sequência o abandono de algum tipo de atividade que tinha o hábito de fazer (que gostava muito).O parceiro sufocado por tal situação, começa a fugir.Daí o ciclo começa.Ela se sente insegura com o afastamento dele e se aproxima ainda mais.O fato mais intrigante é que antes ele a apreciava muito, mas a mulher ao abandonar o seu poder pessoal, ela perde o seu encantamento do início do relacionamento.O livro best seller: Porque os homens amam as mulheres poderosas, pela autora Sherry Argov. Relata bem este tipo de situação, utilizando os termos mulher boazinha e mulher poderosa.A grande questão é: Como se tornar uma mulher verdadeiramente poderosa?Ter poder não é ser agressiva e autoritária, mas saber aonde se quer ir e com quem se quer estar.Qualidade de vida, equilíbrio e serenidade fazem parte da vida de uma pessoa com poder pessoal.Faça algo que realmente gosta.Encante a sua alma, reserve um tempo só para você.O mundo não vai parar para consertar o seu mundo.Isto deve ser feito por você.Olhe-se com respeito e compaixão.O coaching, além do espaço que citei logo acima, também pode auxiliar e muito no aumento ou alcance do poder pessoal. Porque ele atua na causa, que a atitude. Quantas vezes você quis mudar mais simplesmente não conseguiu?Com o auxílio de um bom coach com certeza chega-se bem longe.Desde há pequenos objetivos e sonhos, até os grandiosos.Depende muito do que a pessoa deseja e o quão ela realmente está comprometida com a mudança interna.Porque uma coisa é fato, quando se muda por dentro, o mundo externo se transforma.Não adianta nada querer mudar a parte externa.É o mesmo que desejar um carro, mas não abastecer o mesmo com o combustível. O carro com certeza ficará parado.Daí eu te pergunto: Quanto tempo faz que o seu carro está parado?E você vai esperar mais quanto tempo, para fazer sua vida realmente acontecer?Tudo é uma questão de escolha e decisão.Ter poder pessoal e realizar os teus sonhos depende só de você.Tenha como meta pessoal resgatar o brilho dos teus olhos.O que te inspira?Um pôr do sol, as estrelas, crianças, sorvete, amigos, trabalho, família, natureza... O que você contempla de verdade.Desejo sinceramente que a sua luz se espalhe por todos os lugares, mas que esta luz ilumine principalmente a sua vida.Faça valer a pena, faça por você!! Forte abraço.

Adriana Mantana Proprietária da empresa i9.com Treinamento & Coaching. Master Coach e Trainer da Abracoaching com Certificação Internacional.

Site: http://www.i9treinamentoecoaching.com/

terça-feira, 15 de abril de 2014

VOCÊ TEM NOÇÃO DO PODER QUE TEM?


Por Adriana Mantana

Transforme qualquer tipo de dor, em ação.
Mudar dói, incomoda e perturba.
Qual a força que você REALMENTE tem?
De que lado você quer estar? Vai continuar sendo uma Hello Kitty, ou vai deixar um Wolverine, que habita em você cuidar dos teus sonhos e resultados. Está cansado (a) demais, tudo bem "sem problemas", senta e chora. Ou escolha o seu caminho e MUDE de verdade, seja o que VOCÊ NASCEU PARA SER...UM SUCESSO.
Chega um momento em que a mediocridade cansa.
O esforço será o mesmo para ter sucesso ou não, minto.
Permanecer no fracasso é pior, porque absolutamente tudo conspira para o seu sucesso.
Mas claro que na maioria das vezes você não percebe isto, pois fica focado (a) nas coisas "ruins" que aconteceram e acontecem com você.
Sempre falo que tudo é responsabilidade nossa, não existem acasos e se você está recebendo coisas que acredita que são desagradáveis, pare tudo e reflita o que deve aprender com tudo isto.
Depois disto mude suas atitudes internas e principalmente comprometa-se com o seu sucesso e seus sonhos.
Reclamar e chorar não vai te ajudar em nada.
O ser humano tem uma capacidade incrível de adaptação, basta QUERER e AGIR.
Faça por você.
Contrate um bom coach e dê um up em sua vida.

És um ser incrível que vale muitooo a pena.

Forte abraço.

sábado, 12 de abril de 2014

Método MARCA... Você REALMENTE quer voar???





Por Adriana Mantana

Final de semana cheio de novos aprendizados.
Está acontecendo na Abracoaching de Goiânia o treinamento presencial do Bruno Juliani, MARCA.
Vale muito a pena.
E resolvi disponibilizar para você conferir uns vídeos gratuitos.
Mudou muito minha forma de pensar e agir, espero que tenha um mesmo efeito em você.

Muito sucesso, prosperidade, equilíbrio e força.

Seja feliz agora, do seu jeito.

Segue o Link: http://metodomarca.com.br/ # _l_48

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Até quando...




Por Adriana Mantana

O sol nasce todos os dias e o que você realmente tem feito para mudar cenários e construir uma nova história de vida?
Mudar dá trabalho.
Sair da zona de conforto, buscar novas alternativas e inovar não é para qualquer um. Só para quem quer realmente ser um sucesso.
Precisamos definitivamente decidir o que realmente queremos.
Seguir por um caminho morno, ou ter mais paixão e vontade de viver.
Mas para ter esta paixão, temos que literalmente sair da caixa.
Colocar outras roupas, ter outros conteúdos, andar por outros caminhos.
Permitir que coisas diferentes surjam.
Viver vale muito a pena.
Claro que existiram alguns momentos em que o cansaço vai bater na porta.
Mas isto faz parte, afinal não somos máquinas.
Temos os famosos altos e baixos.
Agora a decisão de prolongar ou não estes momentos depende exclusivamente de nós.
Persista.
Continue.
Seja leal a você, seus valores e sentimentos.
Tenha sempre em mente o seu objetivo pré definido.
E se não consegue sozinho (a), contrate um bom coach e dê um up em sua vida.
Tudo vale a pena, desde que seja alinhado com os teus valores e sonhos.
Busque o seu equilíbrio.

Seja feliz agora, do seu jeito.

quarta-feira, 9 de abril de 2014

Quer ficar na mediocridade?


Por Adriana Mantana

Sair da zona de conforto, buscar novas conexões neurológicas.
Ter a iniciativa e a conclusão de todos os nossos projetos.
Programar a mente para o sucesso.
Parar de chorar e começar a vender lenço. Quem disse que seria fácil? A vida não alisa, mudamos por dentro ou vamos continuar, vivendo em um ciclo vicioso. Onde o fracasso ou o sucesso são escolhas. Quando a dor for muito grande ai sim mudamos. Até lá, comida sem graça, relacionamentos sem sentido e trabalho sem significado farão parte do nosso dia a dia. A grande questão é para onde vamos olhar? E até quando?

Não consegue? Está difícil? Pegue um lenço deita e chora. Ou levanta a cabeça e prova para você mesmo do que é capaz e a FORÇA que tem. Boraaaa que o mundo não pára. Procure um bom Coach e dê um up na sua vida.
Agora lamentar é mais "fácil", claro. Mas o preço a se pagar pela inércia será muito alto, tenho certeza que você já sabe disto.
É mais confortável imaginar que o mundo é culpado por sua vida não ser do jeito que você deseja.
Daí vem a inveja dos outros.
Mas o que a pessoa fez para ter sucesso?
Quais foram as ações internas e externas?
Qual foi a caminhada?
É simples terceirizar o problema.
MAS: VOCÊ É RESPONSÁVEL POR SUA VIDA DE FORMA INTEGRAL.
Não adianta nada ficar chorando e se lamentando, enquanto faz isto o seu tempo está passando.
Faça por você e comece agora.

Vai esperar doer a mediocridade?

Ou quer realmente alcançar os teus objetivos.
Coloque-se como prioridade, pois ninguém fará isto por você.
Faça valer a pena!!!
Busque um bom Coach e mude sua vida.

Forte abraço.


Seja feliz agora, do seu jeito.

terça-feira, 1 de abril de 2014

Falsas promessas...Prometeu? Cumpra.



Por Adriana Mantana

Cuidado com as promessas que faz.
A confiança é a base para qualquer relacionamento.
Se prometeu, cumpra. Simples assim.
Por mais que seja uma coisa pequena.
Não interessa.
Não temos a obrigação de prometer nada, mas se prometermos...
Aí não tem meio termo... Temos que cumprir.
A questão é mais profunda do que supomos.
Por exemplo:
Se você prometeu algo e cumpriu. Duas coisas positivas no minimo acontecerão, a pessoa que teve o seu respeito e recebeu o que você prometeu, terá uma maior confiança em você e reforçará ainda mais o elo.
A segunda coisa, o reforço neurológico que você fará ao seu cérebro, pois teve INICIATIVA e ACABATIVA.

Ou seja só houveram ganhos.
Caso contrário...
Sem comentários acontecerá exatamente o oposto.

Então fique alerta... prometeu...cumpra.
Iniciou ... termine.

Simples assim...

Seja feliz agora, do seu jeito.

Receba nossas ÚLTIMAS NOVIDADES.

Deixe o seu email aqui para receber nossas ÚLTIMAS NOVIDADES.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...